AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA GASOLINA COMERCIALIZADA EM POSTOS DE COMBUSTÍVEIS DA REGIÃO DE MOGI GUAÇU

Camila NUNES, Rafael Resende MALDONADO

Resumo


A gasolina é um produto de grande valor comercial em nosso país e por esse motivo é alvo frequente da prática da adulteração. Diante dessa realidade, este estudo tem como objetivo verificar a qualidade da gasolina comercializada em postos distribuidores de combustíveis das cidades de Mogi Guaçu, Mogi Mirim e Estiva Gerbi, bem como verificar se as amostras coletadas estão de acordo com as especificações estabelecidas pela legislação brasileira. Visando determinar possíveis adulterações na gasolina tipo C foram realizadas determinação da porcentagem de etanol, determinação da massa específica, cor e aspecto visual (limpidez da gasolina) de trinta e uma amostra de gasolina, sendo dezesseis amostras de postos da cidade de Mogi Guaçu, treze da cidade de Mogi Mirim e duas da cidade de Estiva Gerbi. Os resultados obtidos mostraram que, das análises realizadas, somente a de porcentagem de álcool etílico anidro na gasolina apresentou não conformidade. Das trinta e uma amostras coletadas, vinte e sete amostras deram resultados satisfatórios e quatro amostras apresentaram adulteração, sendo duas na cidade de Mogi Guaçu e duas na cidade de Mogi Mirim, a cidade de Estiva Gerbi não apresentou adulteração. Apesar do resultado mostrar um número relativamente pequeno de amostras em não conformidade, o número é superior à média de adulteração registrada pela ANP nessas cidades. Importante relatar que as amostras foram coletadas em finais de semana, período em que não ocorre fiscalização e em que o número de adulterações é normalmente mais elevado.


Palavras-chave


Gasolina; Adulteração; Padrão de Qualidade.

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS a. Assessoria de Imprensa/ANP. Rio de Janeiro, 2011. Disponível em: . Acesso em: 25 de abr. de 2011.

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS b. Qualidade. Rio de Janeiro, 2011. Disponível em: . Acesso em: 25 de abr. de 2011.

ÁVILA,L.A.; CHRISMAN, E.C.A.N.; MIRANDA, A.C.; SILVA, C.L.; LAGE, D.H.M.; NEVES, F.R.; SILVA, F.R.; GERSZT, R.; ROCHA, R.M. Influência da Adição de Solventes na Qualidade de Gasolinas Brasileiras Através de Técnicas Quimiométricas. 2004 2º. Congresso Brasileiro de P &D em Petróleo & Gás.

CRUZ, J. F. M.; SILVA, M. I. P.; SOTO, C. A. T. Caracterização de gasolinas por espectroscopia FTRAMAN. 2003. 215f. Tese (Doutorado em Química) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2003. Disponível em: . Acesso em: 20 de abr. de 2011.

DIAS, J. A. et al. Entendendo a adulteração de combustíveis. 3.ed. São Paulo: Ministério Público Federal, 2007. Disponível em: .Acesso em: 06 de Abr. de 2011.

MOTA, C.J.A. Química e Tecnologia para o Desenvolvimento. Aplicações e Necessidades da Petrobrás à Produção de Gasolina. 1995. Química Nova, v.18, n.2. p. 202-209.

NUNES, C. Adulteração na gasolina. 2011. 58f. Trabalho de Conclusão de Curso (Química Industrial). Faculdades Integradas Maria Imaculada, Mogi-Guaçu.

TAKESHITA, E. V. Adulteração de gasolina por adição de solventes: Análise dos Parâmetros Físico-Químicos. 2006. 102f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Química) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível em: . Acesso em: 04 de mai. de 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.