PERFIL DA DISPENSAÇÃO E DO USO DE SIBUTRAMINA PARA TRATAMENTO DA OBESIDADE.

Danyelle Cristine MARINI, Leandro de Oliveira Silva, Débora Cristina Oliveira

Resumo


A obesidade deve ser reconhecida como uma enfermidade e tratada como tal pois ultrapassa a questão estética e o tratamento visa à diminuição dos riscos de morbidade e mortalidade associadas a essa patologia. O tratamento clínico não medicamentoso inclui prática de atividade física e mudanças no comportamento alimentar, já medicamentoso conta com o uso da sibutramina que promove uma aumento da sensação da saciedade agindo também sobre a compulsão alimentar e como inibidora da sensação de fome. O presente estudo em sua primeira etapa avaliou o uso da sibutramina no tratamento da obesidade por meio de análise quantitativa do consumo nos anos de 2011 a 2013 em duas drogarias do município de Mogi Mirim-SP, em que obteve o maior índice de venda, em 2012 com total de 588 caixas. A outra etapa ocorreu por meio de pesquisa com os pacientes usuários do medicamento. Após aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa realizou-se a pesquisa com 25 entrevistados que utilizaram a posologia de 15mg e a mesma quantidade obtiveram perda de peso com o uso de sibutramina, o que não pode estar associado com a prática de atividade física, pois somente 11 pessoas relataram realizar algum tipo de atividade física. Com as reações adversas ao medicamento apresentadas foram relatados: aumento da pressão arterial, boca seca, arritmia cardíaca, dor de cabeça e insônia. Analisando o período em que os entrevistados relatam ter mais fome, o período da noite foi mais evidenciado. Desta forma, a sibutramina se mostrou eficaz para o tratamento da obesidade.


Palavras-chave


Obesidade. Comportamento alimentar; Tratamento medicamentoso; Sibutramina; Redução de peso.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.